Ficha Técnica Contatos
 

Apresentação

A edição número 22 da Revista Palimpsesto traz em seu Dossiê o tema “A literatura dá voz aos silenciados”. Partindo da questão proposta pela crítica literária Gayatri Chakravorty Spivak em seu ensaio Pode o subalterno falar? (Can the subaltern speak?, 1988), os artigos que integram este número da revista apresentam reflexões sobre o espaço dado ao estudo das obras que discutem as chamadas minorias. Assim, de silenciadas, as vozes de mulheres, negros, indígenas e comunidade LGBT, entre outros, ganham protagonismo nas pesquisas que compõem a revista.
A seção Dossiê contempla lutas desde os camponeses do início do século XX às questões dos travestis da contemporaneidade. Das vozes das mulheres negras aos indígenas. De autores supostamente esquecidos ou marginalizados, mas ainda vivos nos grandes debates literários.
Na seção Estudos, veremos trabalhos de diversas plataformas, correntes teóricas, propostas analíticas e objetivos diversos. Relatos de memórias, práticas pedagógicas, estudos comparativos são apenas alguns temas presentes nessa edição.
Na seção Resenha, temos contribuições para o estudo da Literatura na atualidade, interpretações de questões pós-modernas e análises de obras. E na seção Resumo, apresentamos uma dissertação de mestrado em Literatura Brasileira, defendida no Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Os artigos dos colaboradores desta edição representam diversas universidades brasileiras, do Rio Grande do Sul ao Piauí, passando pelos grandes centros como Rio de Janeiro e São Paulo, mas também universidades presentes em cidades menores. Por fim, há de se mencionar que também o além-mar está representado nesta edição. É com imenso prazer que trazemos uma entrevista com o ensaísta e professor catedrático na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Carlos Reis.
Nós, membros do Conselho Editorial da Revista Palimpsesto, temos muito orgulho de trazer essa edição, uma voz de resistência tão pertinente ao momento atual. Como membros da comunidade universitária da UERJ lutamos para garantir a sua voz, que não deve ser silenciada. A instituição sempre se preocupou em diminuir as diferenças e garantir o acesso à educação e o pensar o mundo de forma crítica. A UERJ sempre abriu suas portas para as minorias, sendo a primeira universidade brasileira a aderir ao sistema de cotas e ao ensino noturno, que abraça todas as classes sociais e trabalha ativamente para que a educação seja uma ferramenta transformadora e democrática.

Desejamos a todos uma boa leitura!

OS EDITORES

Apresentação em PDF

topo


 

Ano 15 | Número 22 | 2016

» Dossiê - “A literatura dá voz aos silenciados

» Entrevista

» Estudos

» Resenhas

» Resumo de Dissertação

» Normas para Publicação

» Publication Norms

» Chamada para Publicação

» Submission of papers

 

 
Palimpsesto 10

ISSN 1809-3507

 

Indexado em:

 
 
Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Letras